Sobre largar o anticoncepcional!

Gente, resolvi fazer essa postagem pra explicar pra vocês porque tive que parar de tomar anticoncepcional.

Primeiro, gostaria de deixar claro que não sou médica, não trabalho na área de saúde, então o que estou escrevendo aqui é a minha própria experiência e o que eu aprendi nesses últimos meses.

Comecei a tomar pílula com 17 anos, e tomei até janeiro deste ano (com 26 anos). Neste meio tempo usei as seguintes marcas: Adoless, Belara e Mercilon. Cheguei a tomar mais uma marca, mas não me lembro o nome por nada! Rs

Acontece que, no final do ano passado, comecei a ter muito mal estar, falta de ar e dor… MUITA DOR, abaixo dos seios, nas costas e nos ombros. Eu sei que a dor era tão forte que eu mal conseguia respirar, meu namorado não podia se virar na cama que eu chorava de dor!

No dia 21/12 fui para a Bahia, num casamento, passei o fim de semana e voltei. Na semana seguinte, essa dor só piorava e todos os sintomas se agravaram. E eu comecei a passar de médico em médico, de pronto socorro em pronto socorro… e ninguém conseguia me diagnosticar.

Na verdade, todos os médicos que me atenderam me diagnosticaram: gases, estress, dor muscular, costela trincada, “talvez pedra na vesícula”, neurite intercostal, …

E por tudo isso, tomei: Luftal, Rivotril, Tandrilax, Buscopan, duas injeções de profenid e OITO injeções de dexalgen.

Na segunda semana, os sintomas só pioravam e eu simplesmente não conseguia entender! Comecei a me desesperar, chorava o dia todo de nervoso e de dor.

Foi aí que a minha mãe (e isso prova que só elas nos salvam, independente da nossa idade, RS) teve a ideia de marcar uma consulta com um pneumologista que cuidou da minha avó após uma cirurgia e que, por sorte, tem consultório no prédio vizinho ao meu.

E lá fui eu pra consulta… Expliquei tudo pra ele, como já tinha feito com zilhões de médicos antes dele e ele me pediu um raio x do pulmão. Quando voltei, no mesmo dia, com o exame, ele me disse que o meu raio x estava perfeito e que nada indicava que eu tinha um problema no pulmão (e estava mesmo, ele não se enganou).

Mas como minha dor era muito forte, ele disse que jamais seria irresponsável de me deixar daquela forma e me pediu uma tomografia.

Aí foi outro “parto”: existe uma suspeita de que eu seja alérgica ao contraste utilizado nesse tipo de exame, então fiquei 3 dias tomando uma dose alta de corticoide e tomei uma injeção de fenergan antes da tomografia.

Fiz o exame no dia 25/01 e fui no show do Lulu Santos, comemorar o aniversário da minha mãe! Rs

No dia seguinte, peguei o resultado e levei no consultório do pneumologista, que me disse: “Você tá viva ainda? Pode ir pra sua casa, arruma sua mala e vai pro hospital, porque eu vou te internar agora. Aliás, você tinha que estar internada há mais de um mês”.

Diagnóstico: trombo embolia pulmonar.

Naquela semana fiquei internada, tomando injeções de heparina na barriga (anticoagulante), fazendo muitos exames todos os dias, além de um controle de saturação, temperatura, pressão, etc, a cada 4 horas.

Tive trombos nos dois lados do pulmão e uma consolidação na base do lado direito.

Continuo o tratamento com anticoagulantes até agosto (agora tomo ribaroxabana, via oral) e terei cuidados diferenciados o resto da vida – em viagens, gravidez, etc. Por mim, tudo ótimo! Fico feliz por ter saído dessa com vida e sem sequelas.

Mas fico pensando demais nos nossos hábitos. Isso porque , como já falei, fiz muitos exames, alguns que nem sabia do que tratavam e, eu não tenho nenhum tipo de predisposição a isso, como trombofilia, por exemplo.

Passando rapidamente pelo caso, quais são os fatores mais comuns para causar o problema: cirurgias extensas, câncer, traumas, anticoncepcionais com estrógeno, reposição hormonal, gravidez e pós-parto, varizes, obesidade, tabagismo, insuficiência cardíaca, idade superior a 40 anos, DPOC e distúrbios na coagulação do sangue.

Como contei pra vocês aqui no blog, eu sou ex fumante, então juntei dois fatores de risco e agravei meu problema.

Pelo que eu entendi nas consultas que fiz com o pneumologista e com a hematologista, o cigarro sozinho dificilmente causa uma embolia pulmonar, especialmente na minha idade. Veja bem, não estou incentivando NINGUÉM a fumar (muito pelo contrário!). Mesmo porque, o cigarro causa milhões de outros problemas iguais e piores a este.

Mas chamo atenção pro uso do anticoncepcional. Queria saber uma coisa de vocês: antes de começar a fazer uso do hormônio, a ginecologista pediu um exame de trombofilia? Ela explicou que existem outros métodos contraceptivos com riscos menores de trombose e de embolia pulmonar?

Posso falar por mim: minha médica sempre me disse que esses problemas eram extremamente raros, principalmente na minha idade e que eu nem deveria me preocupar com isso (mesmo sabendo que eu também era fumante!).

Por um acaso, quando tive alta do hospital, encontrei um grupo no facebook chamado “Vítimas de anticoncepcionais”, com mais de 32 mil usuárias e foi aí que eu descobri que eu não era um caso isolado, não estava sozinha nessa, não era um caso raro e incomum: vocês podem ver vídeos e depoimentos de várias mulheres, algumas até mais novas que eu (E NÃO FUMANTES) que tiveram o mesmo problema, outras que tiveram AVC, entre vários outros problemas graves de saúde causados única e exclusivamente pelo uso do anticoncepcional.

A questão é que o benefício do controle de natalidade é superior aos riscos e danos irreparáveis que são causados pelo hormônio, NA CABEÇA DOS MÉDICOS GINECOLOGISTAS.

O pior de tudo é que isso é passado nas faculdades, nos estágios, nos internatos, nas residências, e esse pensamento já ficou enraizado no Brasil. Ao contrário do que acontece em outros países, que estão tentando abolir a pílula! Aliás, o anticoncepcional Diane 35 é proibido em quase todos os países, por já ter causado centenas de mortes… mas no Brasil não. No Brasil ele é indicado, inclusive, para adolescentes que, antes mesmo de começarem a ter vida sexual ativa, tem problemas com acne. É SÉRIO.

E foi nessa que tive diversas discussões com amigos que estão na faculdade de medicina ou recém formados que também acham que meu caso é muito incomum e que eu não deveria falar mal da pílula, rs.

A gente precisa parar pra conversar sobre isso! Os problemas estão acontecendo e ninguém vê, ninguém fala nada… Qual é o problema de discutir o assunto: diminuição de lucro dos laboratórios? Controle de natalidade?

Tenho uma novidade pra vocês: quem não se importa e tem um filho atrás do outro simplesmente não toma anticoncepcional E NEM SE UTILIZA DE NENHUM OUTRO MÉTODO! Quem não se importa não toma pílula, não usa preservativo, não usa DIU, não usa implante…

É justamente o oposto do que aconteceu comigo. Por ter deixado de tomar anticoncepcional, passei a ter mais preocupação com o preservativo e estou estudando com os médicos um método contraceptivo sem hormônios (como o DIU de cobre, por exemplo).

Vocês acham normal que o mundo todo esteja abrindo os olhos pra isso e o Brasil continue dizendo “calma gente, são casos isolados, o método é seguro, não vai acontecer nada, é raríssimo”.

Conversem com o ginecologista de vocês, façam exames, estudem os métodos e se informem sobre as suas opções. Eu não recomendo o uso de hormônio! Isso porque sei o sufoco que passei e que fiz toda a família passar junto.

É óbvio que não é todo mundo que toma pílula que vai ter trombose, não é todo mundo que fuma que vai ter câncer,… mas eu prefiro não arriscar mais!

Indico a leitura da revista Época dessa semana, com a matéria de capa sobre o assunto que tratei nesse post:

Capturas-de-tela-300x300

Quem quiser saber mais sobre o assunto:

 Vítimas de anticoncepcionais – Unidas pela vida! 

Sem título

Também indico os seguintes depoimentos:

 

Desculpem o tamanho da postagem, mas esse assunto anda me consumindo um pouquinho…

Beijinhos!

8 opiniões sobre “Sobre largar o anticoncepcional!

  1. Quando comecei a tomar anticoncepcionais a ginecologista tinha me indicado o Tâmisa 20. Tomei por 3 semanas, mas sempre na manhã seguinte acordava com enjoos. Quando chegou o ponto que nao dava mais para aguentar, liguei para ela pedindo o que eu deveria fazer… ela me mandou parar no momento, pois se eu continuasse poderia me causar danos no útero. Agora vejo que fui muito precipitada em ter começado naquela época, tenho medo de futuramente nao conseguir mais engravidar… nunca se sabe como meu corpo estará 😦
    Muito interessante seu post, acho que esse assunto deveria ser muito mais discutido entre as mulheres!

    • Acredito que você não vá ter problemas não! Torço pra isso! 🙂
      Mas é muito complicada essa indicação indiscriminada de anticoncepcional de estrógeno pra todo mundo, né? Somos mulheres diferentes, com corpos diferentes, vidas diferentes, genéticas diferentes, hábitos diferentes… Etc!
      Acho que você fez muito bem de parar… E ainda bem que seu corpo te “avisou” bem rapidinho que essa substância não era pra você, né?
      Obrigada por comentar!
      Beijinho💕

      • Troquei várias vezes nesse meio tempo e meu corpo sempre me avisou se tinha algo errado. O meu atual tem uma dosagem hormonal diferente da normal e meu corpo tem agradecido… Concordo nessa parte de que temos corpos diferentes, acho que isso deveria ser levado muito mais em consideração! Beijo.

  2. Adorei o assunto. Já vi muitos relatos assim também, incluindo de pessoas que perderam pernas, e outras que agora temem engravidar com medo de complicações.
    Mas infelizmente, todos os anticoncepcionais possuem um lado negativo. A pílula no caso, a trombose.
    Sei que está errado, eles disponibilizarem um medicamento que pode causar a morte. Porém, a partir do momento que você enxerga que estamos interrompendo o ciclo natural do corpo, é de se esperar que o efeito adverso não seja pequeno.
    Agora vai dos médicos, e dos pacientes, procurarem entender o corpo da mulher antes de receitar/tomar qualquer coisa. Se você parar pra ver, tem muita gente tomando anticoncepcional aí como se fosse bala, sem nenhum tipo de exame, nem de conhecimento. E o que justificar nestes casos, né?

    • Sim!! Não dá pra “demonizar” o anticoncepcional (claro que EU peguei trauma, né?).
      Mas o grande problema é não existir uma conversa sobre isso, uma precaução por meio de exames antes da indicação, a informação de que existem, sim, outros métodos tão eficientes quanto!
      Não dá mais pra pílula ser vendida e receitada dessa forma, sem cautela alguma!
      Muito obrigada pelo comentário 🙂
      Beijinho!

  3. Esse seu post me levou a refletir muito, tenho 18 anos e comecei a tomar anticoncepcional com 17, fui na ginecologista e ela me receitou o Tantin, fiquei tomando por mais ou menos uns 9 meses, mas observei nesse verão quando comecei a vestir mais biquínis e roupas curtas que meu corpo estava muito mudado, as celulites que eu não nunca tive apareceram, as estrias também e aquela barriga saliente que eu nunca imaginei que teria surgiu, vai fazer dois meses que eu parei de tomar essa bomba, antes de tomar essa decisão eu pesquisei na internet todos os malefícios do anticoncepcional e me deparei com muitos relatos tristes e até mesmo inacreditáveis, não tenho vontade de voltar a tomar, principalmente depois de lê tanta coisa, graças a Deus nada de ruim me aconteceu mas poderia ter sido pior. Adorei seu post e principalmente sua iniciativa de escrever e compartilhar sua historia. Um grande beijo da sua mais nova seguidora!!

  4. Pingback: Aplicativo: Sai, cólica! | Deixa eu contar...

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: